Programa

– Histórico

O Programa de Pós-Graduação (PPG) em Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) foi iniciado em 2003, com o intuito de formar docentes e pesquisadores e expandir a produção do conhecimento científico na área, por meio da inovação acadêmica e integração entre pesquisa clínica e experimental.

Os primórdios de nosso PPG se deram em 1970 com a criação do Programa de Pós-Graudação em Oftalmologia e em 1990 com a criação do Programa de Pós-Graduação em Otorrinolaringologia, os quais titularam 216 alunos até 2003, totalizando 495 egressos até o momento. Vários desses alunos (116 até o momento) têm contribuído direta ou indiretamente para a nucleação em todo o país, onde desenvolvem atividades de ensino e pesquisa, sendo que alguns se tornaram docentes em nosso Departamento, participando inclusive como docentes permanentes (DP) neste PPG.

Com tendência multidisciplinar, as linhas de pesquisa de nosso PPG se distribuem em duas áreas de concentração: 1. Mecanismos Fisopatológicos dos sistemas Visual e Audiovestibular e 2. Morfofisiologia das Estruturas Faciais. A multidisciplinaridade continua sendo contemplada por professores e alunos e pode ser verificada em diversas temáticas presentes em diversas linhas de pesquisa abrangidas pelo PPG, tais como: mecanismos fisiopatológicos dos sistemas visual e audio-vestibular, estudo anatomo-molecular nas neoplasias de cabeça e pescoço e estudo antropométrico e morfofuncional do complexo cérvico-craniofacial.

Desde a nova proposta do PPG, foram oferecidas vagas para médicos de outras especialidades e não médicos, fato que contribuiu para a germinação da integração multidisciplinar das linhas de pesquisa. Em 2007 alcançou a nota 5 da CAPES, mantendo, porém, o conceito 4 desde 2010. Um esforço adicional foi aplicado no último quadriênio, que resultou no incremento crescente em várias frentes de internacionalização, arrecadação de financiamentos de pesquisa e publicações com maior fator de impacto e participação discente. Desde então, a cooperação com outros laboratórios dentro da instituição, ou ainda dos Convênios Nacionais e Internacionais, o intercâmbio e a produção conjunta têm sido incrementados.

Nosso programa apresenta um número crescente de acordos de cooperação internacional, incluindo a Universidade de Cincinnati nos E.U.A., Universidade de Salamanca na Espanha e com as Universidades do Porto e do Minho em Portugal e, recentemente, a Flinders University na Austrália, Columbia University – NY e a Duke University – NC nos EUA.

Com os cursos de mestrado acadêmico e doutorado stricto sensu nosso PPG tem recebido alunos de todo o país e alguns alunos estrangeiros. Dispõe ainda de salas de aulas e estrutura física próprias na instituição e tem investido nos seus laboratórios de pesquisa e na estruturação de sua clínica, que hoje estão equipados, principalmente por meio de projetos financiados, e em pleno funcionamento.

O corpo de DP, composto primordialmente por médicos cirurgiões oftalmológicos, otorrinolaringológicos e de cabeça e pescoço, além de gastroenterologista e fonoaudiólogos, confere ao PPG um caráter multidisciplinar, no qual a interdisciplinaridade fica configurada nas linhas e projetos de pesquisa. Com total atuação em regime de dedicação exclusiva, nossos DP têm evidente reconhecimento na área, sendo vários participantes e coordenadores de setores de sociedades científicas, pertencentes a corpo editorial de revistas científicas, organizadores de eventos científicos e captadores de recursos para pesquisa. Em 2017, foi concretizado o apoio em bioestatística, dado pelo físico médico Denny Marcos Garcia, egresso de nosso PPG e participante de vários trabalhos científicos desde a conclusão de seu doutoramento.

Também em 2017, visando a participação de professores internacionais houve a entrada da professora Justine Smith como colaboradora e participante do convênio firmado entre a FMRP-USP e a Flinders University (Australia). Atualmente, ela atua na coorientação de uma aluna de mestrado e em publicações em conjunto com DP do quadro.

Atualmente, o corpo docente é composto por 15 DP e 2 DC, sendo um desses colaborador internacional. Apesar da estabelecida independência atual dos DP, esforços serão realizados nos próximos anos para uma redução ainda maior no número de DC de nosso programa.

Desde novembro de 2016, o atual coordenador, Prof. Dr. Jayter Silva de Paula, em conjunto com a nova comissão coordenadora do PPG têm dado continuidade às atividades preponderantes de nosso programa e realizado reuniões com o corpo docente para discussão de metas e estabelecimento de ações visando o aperfeiçoamento para a excelência, fortalecendo principalmente aspectos da internacionalização, equalização das atividades desenvolvidas pelos DP do programa, inserção social e participação do aluno em publicações científicas com maior impacto com participantes internacionais.

 

– Objetivos

 

O Objetivo geral do PPG é a formação de pesquisadores e professores altamente qualificados aliada à produção de conhecimento qualificado e reconhecido nos campos da oftalmologia, otorrinolaringologia, cirurgia de cabeça e pescoço e fonoaudiologia, por meio de disciplinas e pesquisa científica de vanguarda de nível internacional.

Para tanto, são buscados os seguintes objetivos específicos:

  1. Capacitar alunos nos diversos níveis para o desenvolvimento de pesquisas científicas, disseminação de conhecimento e ensino de qualidade, do ponto de vista teórico e prático, visando a nucleação e dentro de uma perspectiva globalizada;
  2. Produzir novos conhecimentos e incrementar a qualidade das pesquisas científicas nas áreas relacionadas ao PPG;
  3. Promover a discussão crítica de assuntos relativos às especialidades do PPG, dentro das esferas científicas e de saúde pública, sob um olhar multidisciplinar;

 

Ao concluir a sua instrução formal no PPG o egresso deverá ser capaz de exercer seu papel acadêmico, social e no desenvolvimento científico e tecnológico. Nossos egressos devem, assim, estar aptos a:

  1. Integrar equipes multidisciplinares, compondo e colaborando com centros de ensino e pesquisa de alto nível ou formando novos núcleos de pesquisa e ensino;
  2. Avaliar, planejar, desenvolver e concluir projetos de saúde, ensino e pesquisa, alinhados às novas metodologias e tecnologias científicas;
  3. Atuar criticamente como transformadores de processos e sistemas, inovando e produzindo tecnologias adequadas às necessidades futuras da ciência e sociedade.

 

– Avaliação CAPES

Nota 4 (Medicina III)

 

– Planejamento Futuro

A fim de manter sua evolução, o programa considera como os seguintes pontos como prioridades no planejamento futuro:

  1. Ampliação do intercâmbio bidirecional de alunos e pesquisadores entre nosso PPG e instituições do exterior, incluindo doutorado sanduíche e pós-doutorado, com foco em publicações e teses.

Em 2017, foram reforçados os convênios internacionais existentes, havendo atualmente duas coorientações internacionais em nosso PPG, porém o incremento dessas ações será buscado nos próximos anos. Estratégias pessoais e discussões específicas internas têm sido apresentadas, com foco no incremento de projetos multicêntricos, co-orientação à distância e manutenção de disciplinas na língua inglesa

  1. Equalização do número de publicações em revista de maior impacto entre os docentos do nosso programa. Apesar da busca por incremento de qualidade, tal dificuldade pode ser explicada parcialmente pelo fato de que três das quatro especialidades do PPG estarem limitadas por revistas na área classificadas como B1.
  2. Expandir a inserção social por meio de aumento das ações de solidariedade e exposição da pesquisa científica no ensino médio e fundamental.
  3. Aumentar o fluxo de titulação dos alunos, com atenção aos prazos de publicação conjunta com discentes.